23/02/2017

Máscara de Ferro

23/02/2017
Onde habita a mais pura insensatez,

De um momento tão louco e irreconhecível,lá estou eu.

acordo meio louca, atras de algo que nem eu sei o que eu quero.

Anseio por algo libertador,que ao mesmo tempo me torna prisioneira dos meus próprios medos.
Quero alçar vôos que talvez não me traga de volta.

Sonho acordada e mesmo sabendo que tudo não passa de ilusão,assim mesmo continuo sonhando com o impossível.

Quero arriscar ,mais muita coisa me prende e não sei me desligar,talvez por medo do incerto.
A neura está tomando conta da minha mente e judiando de minha alma.

Socorro! Preciso de ajuda, mas ninguém me nota.

Todo mundo me vê ,mas não conseguem me enxergar, minha alma pede socorro, eu peço socorro!
Um misto de sentimentos invade minha mente, a maioria só me causam choro,mas como posso mudar isso? Será que eu quero realmente mudar isso?

Meus olhos acinzentados,já não brilham mais; os momentos bons não estão sendo suficientes para colorir meu olhar novamente.

Quem me conhece, não conhece meu choro, pois sempre ao sair de casa ou receber visitas,coloco minha máscara de ferro.

Se ao tentar mostrar para alguém o meu EU VERDADEIRO me tiram de palhaça, como se fosse uma brincadeira. Alguém me salva dessa dor constante que me dilacera por dentro,não aguento mais chorar só por estar acordada....
Máscara, Carnaval, Veneza, Misterioso
Máscaras


Fátima Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário